CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Arquidiocese de São Paulo vai apurar abuso sexual na Igreja

Gabriel Monteiro: “Vocês não vão tirar minha dignidade”

Desarmado, soldado diz temer por sua vida

Gabriela Doria - 05/03/2020 19h32 | atualizado em 06/03/2020 09h36

Gabriel Monteiro denuncia perseguição Foto: Reprodução

Desarmado e prestes a ser expulso da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o soldado Gabriel Monteiro, que também é youtuber, denunciou nas redes sociais que está enfrentando uma sindicância interna após confrontar o ex-comandante-geral da PM, o coronel da reserva Ibis Pereira, sobre suas ligações com o Comando Vermelho. Em um vídeo publicado nas redes sociais, Gabriel aparece revoltado e com lágrimas nos olhos após perder o porte de armas.

– Eu entrei para a Polícia Militar aos 19 anos. Sempre tive dois sonhos: combater os bandidos de fuzil e os policiais corruptos, aqueles que têm muito poder e da alta cúpula da PM. Eu sempre morei em favela e é nítida a convivência entre bandidos de fuzil e fardados da alta cúpula da PMERJ. Desde que entrei para a Polícia Militar, sempre tive muito medo, porque o sistema é muito forte e o poder de comandantes corruptos é exacerbado. Só quem está dentro da Polícia Militar sabe como é difícil combater os coronéis da sacanagem – afirmou.

Desde que entrei para a Polícia Militar, sempre tive muito medo, porque o sistema é muito forte

Em seguida, o militar conta de onde surgiram as suspeitas contra o coronel Ibis Pereira.

– Recentemente recebi uma mensagem de um morador de favela que desabafou comigo. Ele falou que o coronel Ibis, ex-comandante-geral da polícia militar, estava em conluio direto com o Comando Vermelho e recebia uma mesada há anos para influenciar e vazar ações. Mas eu não tinha provas, então fui questioná-lo. Porque eu tinha fotos do coronel Ibis dentro do coração do Comando Vermelho, na Maré, onde nenhum policial consegue adentrar a não ser com uma megaoperação. O Brasil inteiro ficou sabendo que o coronel Ibis não soube responder as minhas perguntas, ele não soube dizer como foi ao coração do Comando Vermelho, uma área tão hostil para a Polícia Militar – detalhou.

View this post on Instagram

#policiamilitar #policiacivil #pmmg #pmesp #infantaria #brasil #brasilacimadetudo #brasilacimadetudodeusacimadetodos #deusacimadetudo #deusacimadetodos #gabrielmonteiro #policia #guerra #selva #freefire #freefirebrasil #marinhadobrasil #pqd #exércitobrasileiro #exercitobrasileiro #servireproteger #vidasaudavel

A post shared by Gabriel Monteiro (@gabrielmonteiropm) on

Neste momento, Gabriel revela que a sindicância se trata de uma represália que está colocando sua vida em risco.

– Por fazer esse questionamento, eu perco, no dia de hoje [quinta-feira, 5], meu porte de armas, minhas funções externas. Estou largado. Estou submetido a um conselho que vai me expulsar da Polícia Militar não porque eu roubei, matei, fui truculento ou racista. Mas porque eu questionei um ex-comandante-geral da PM, que tem um forte apreço e convivência com o CV. E não dá pra entender como isso acontece e a Corregedoria da PM não faz nada. Eu provei que ele vai no CV e nada acontece. E o que acontece comigo? Eu perco meu sonho – afirmou.

Estou largado. Estou submetido a um conselho que vai me expulsar da Polícia Militar

O youtuber também revela que, por conta de sua inimizade com o ex-comandante, uma familiar sua chegou a ter atendimento médico negado em uma unidade de saúde da Rede D’Or.

– Fui ao hospital com ela e mesmo com um oficial de Justiça com uma ordem para que ela fosse imediatamente internada, a internação foi retardada. E quando fui conversar com o diretor do hospital, ele era um coronel da PM amigo do coronel Ibis, segundo fontes – denunciou.

Abalado, Gabriel diz ainda que, apesar dos ataques, ninguém irá retirar sua “dignidade”.

– Polícia Militar, comandantes da PM que estão fazendo isso comigo, vocês podem me matar, tirar meu pouco salário e a minha farda, podem fazer tudo, só não podem tirar minha dignidade. Eu consigo olhar para meus parentes e dizer que sou um policial honesto. Vocês conseguem? Vocês conseguem olhar no olho do filho de vocês e dizer “eu sou um bom policial”, “eu trabalho para a sociedade”, “eu prendo vagabundo”? – questionou.

Vocês podem me matar, tirar meu pouco salário e a minha farda, podem fazer tudo, só não podem tirar minha dignidade

Cristão, Gabriel Monteiro encerra o vídeo mostrando temor por sua vida, mas ainda assim com fé em Deus de que a Justiça será feita.

– Enquanto eu estiver vivo e Deus permitir, eu vou combater coronéis corruptos. Minha luta não é contra a polícia, é contra policiais e comandantes corruptos, que envergonham a farda. Vocês não vão tirar a chama que Deus colocou dentro de mim. No juízo de Deus, não haverá cabo, soldado e nem coronel, e sim seres humanos, e você serão condenados como nunca viram. Serão condenados por Deus, o grande criador do universo. Não vai ter poder e não vai ter caneta. É melhor você se arrependerem, porque quem está comigo é o povo e é Deus – garantiu.

SINDICÂNCIA
O youtuber e soldado da Polícia Militar, Gabriel Monteiro, afirmou na manhã desta quinta-feira (5), que perdeu o porte de armas e corre sérios riscos de ser expulso da PM após fazer denúncias em suas redes sociais contra coronéis da corporação.

Em uma publicação, o soldado divulgou um boletim em que consta uma sindicância aberta contra ele, na Corregedoria da PM do Rio de Janeiro, por transgressão disciplinar de natureza grave. A justificativa usada contra Gabriel é de que ele teria tratado o coronel reformado da PM, Ibis Pereira, de forma desrespeitosa, em duas ocasiões no final do ano passado.

Leia também1 Gabriel Monteiro perde porte de armas e pode sair da PM
2 Internet se revolta e dá apoio: #SomosTodosGabrielMonteiro
3 Gabriel Monteiro denuncia plano de atentado contra PM


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo