Flordelis: Perito em linguagem corporal analisa entrevista

Especialista apontou traços de dissimulação e evasão nos discursos da pastora

Rafael Ramos - 04/07/2019 16h40

Perito avaliou postura corporal de Flordelis em entrevistas Foto: Reprodução TV Globo

As recentes entrevistas dada por Flordelis à Record e à Rede Globo foram analisadas pelo perito Vitor Santos. Especialista em Análises de Comportamento Não Verbal, Vitor avaliou gestos, expressões faciais e o modo do discurso da pastora.

De acordo com o especialista, Flordelis faz uso de uma ferramenta verbal, em alguns momentos, para ganhar tempo enquanto se pensa em uma melhor resposta ou em algo que faça sentido. Ele afirma que o uso de linguagem formal em partes da entrevista é incomum em situações onde se espera uma reação mais emocional e espontânea do indivíduo.

Comparando algumas declarações de Flordelis à entrevista de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o perito destaca o uso de termos ambíguos. Tal artifício levanta suspeitas através do que ele chama de “afastamento verbal”. Já expressões labiais que passam a ideia de felicidade e o excesso de detalhes e narrativas evasivas podem indicar dissimulação.

Vitor também avalia o número de perfurações e a grande quantidade na área genital do pastor Anderson do Carmo. Para ele, isso revelaria impulsividade de quem executou os disparos e um estado emocional elevado por motivos pessoais. Sobre a ideia de que Anderson poderia ter abusado de um dos filhos, ele traça um comparativo com o perfil dos líderes religiosos João de Deus, Jim Jones e David Koresh. Os três tiveram seus nomes associados à religião e abuso de menores.

Vitor Santos conclui dizendo que Flordelis demonstra muitos pontos incongruentes na narrativa, expressões faciais contraditórias quando fala da morte ou do mandante da morte do marido e inconsistência narrativa em seu relato. Especialista pelo único instituto no mundo autorizado à certificação científica em Codificação Facial, ele possui um canal no YouTube que é considerado o maior nesse assunto.

O CASO
O pastor Anderson do Carmo foi assassinado na madrugada de domingo (16) na garagem de casa, em Pendotiba, Niterói, no Rio de Janeiro. O laudo mostrou 30 perfurações pelo corpo, a maior parte nas costas, peito e região da virilha. Anderson era casado há 25 anos com Flordelis, pastora e deputada federal pelo Rio de Janeiro. Sempre ao lado da esposa, ele atuava como secretário-geral do PSD no Estado.

Dois filhos da pastora estão presos preventivamente, Lucas dos Santos, de 18 anos, e Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos. O mais velho assumiu ter efetuado seis tiros. Lucas teria ajudado comprando a arma, mas não estaria em casa no momento dos disparos. Os agentes ainda estão investigando os pontos contraditórios.

Um terceiro filho teria afirmado, em depoimento, que não ouviu discussão, barulho de carro ou moto em fuga. Que quando chegou na cena do crime encontrou o irmão Flávio próximo ao pai, caído. Ele garantiu ainda que o celular de Anderson, que está sumido, foi entregue a Flordelis.

Ainda em depoimento, o filho disse que o pastor já recebeu uma mensagem com ameaça de morte e uma das irmãs ofereceu R$ 10 mil a Lucas para que cometesse o crime. Flordelis e três filhas já teriam colocado remédios na comida de Anderson, por isso, sua saúde estava debilitada.

LEIA TAMBÉM+ Polícia Civil analisa se socorro a pastor teria demorado
+ Flordelis decide fechar uma de suas igrejas temporariamente
+ Filha de Anderson do Carmo: “Nossa família acabou"


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo