Leia também:
X Internet não quer mais verbas para partidos políticos do país

Flordelis envia nota em sua defesa contra relato do filho

Assessoria de Flordelis encaminha texto da deputada, que rebate depoimento de Mizael

Pleno.News - 21/08/2019 14h30 | atualizado em 21/08/2019 17h12

Deputada Flordelis se defendeu das acusações do filho, o vereador Misael Foto: Jade Nunes/Pleno.News

Após divulgação na mídia do depoimento de Wagner Andrade Pimenta, conhecido como Misael, sobre o caso do assassinato do pastor Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis reagiu e pediu que sua assessoria enviasse uma nota ao Pleno.News para fins de esclarecimento.

No depoimento de Misael, que é um dos filhos adotivos de Flordelis e do pastor Anderson, há sérias acusações contra a deputada, apontada pelo filho como a “mentora intelectual” da morte do pai.

O relato foi dado por Misael à Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo no dia 18 de junho deste ano, dois dias após o crime. Na ocasião, Misael foi um dos primeiros a prestar depoimento atribuindo à Flordelis a participação no assassinato. Sobre a divulgação destas acusações, nesta tarde de quarta-feira (21), a deputada Flordelis enviou o seguinte esclarecimento ao Pleno.News:

1. “É mentira, a acusação do filho adotivo Wagner Andrade Pimenta, de ser ela a mentora intelectual do assassinato do Pastor Anderson do Carmo.

2. Mentira maior é o Wagner Andrade Pimenta ter dito que ela vinha manipulando os filhos até encontrar um que tivesse coragem para matar o Pastor Anderson.

3. Mentira maior ainda é o Wagner Andrade Pimenta ter afirmado que ela teria dito a ele que o Pastor Anderson estava dando volta nela com relação ao dinheiro”.

4. Mentira estupidamente maior é Wagner Andrade Pimenta dizer que o Pastor Anderson ficou internado cinco dias em outubro, porque estava recebendo remédios a mando dela com o intuito de envenená-lo.

5. Com relação ao trecho da matéria do Jornal O Globo que afirma: “Misael deu um novo depoimento à polícia e, na ocasião, relatou ter descoberto que Flordelis digitou uma das mensagens que a irmã, Marzy Teixeira, enviou para Lucas pedindo que ele matasse Anderson”. Isso não é verdade, é um absurdo e não há nenhuma prova com relação a isso.

6. Daniel ao prestar declarações contra ela está claramente instruído pelo Wagner Andrade Pimenta, de quem se aproximou muito na vida a ponto de exercer cargo de confiança no gabinete do vereador.

7. Por fim, o Wagner Andrade Pimenta, o Misael, afirma que pegou o celular do Pastor e fotografou uma mensagem. Sobre isso, a deputada pode reafirmar categoricamente que não há uma só prova que ela tenha sido mentora intelectual do crime.

Quem é Wagner Andrade Pimenta? Misael, eleito vereador com o nome de Misael Flordelis. É um dos primeiros filhos adotados por ela e criado por ela e pelo Pastor Anderson do Carmo. Por decisão do casal, Misael tinha papel destacado no grupo, de absoluta confiança a ponto de ser tesoureiro das igrejas, do Instituto Flordelis e da residência da família. Seria também o herdeiro do capital político dela.

Ela desconhece os motivos de Misael criar o cipoal de mentiras que criou sobre ela e de usar alguns filhos dela no projeto de desacreditá-la e envolvê-la com o crime. É muito sórdido tudo isso que o Misael tem feito com ela. Difícil de entender. O que ela percebe no Misael é uma ambição imensurável, situação que ela começou a notar quando ele quis atropelar o projeto político do grupo e ser candidato a deputado estadual na eleição passada e, depois, quando teve uma discussão acirrada com o Pastor Anderson para ser candidato a prefeito em São Gonçalo. E, recebeu a decisão de que não seria ele, mas provavelmente ela própria. A contrariedade dele de não ter sido escolhido, como queria, para ser o candidato da família a deputado estadual e para, no próximo ano, disputar a Prefeitura de São Gonçalo não justifica tamanha crueldade e ingratidão”.

O CASO
O pastor Anderson do Carmo foi assassinado na madrugada do dia 16 de junho, na garagem de casa, em Pendotiba, Niterói (RJ). O laudo mostrou 30 perfurações pelo corpo, a maior parte nas costas, peito e região da virilha. Anderson era casado há 25 anos com Flordelis, pastora e deputada federal pelo Rio de Janeiro. Sempre ao lado da esposa, ele atuava como secretário-geral do PSD no Estado.

Dois filhos da pastora estão presos preventivamente, Lucas dos Santos, de 18 anos, e Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos. O mais velho assumiu ter efetuado seis tiros. Lucas teria ajudado comprando a arma, mas não estaria em casa no momento dos disparos. Os agentes ainda estão investigando os pontos contraditórios.

Um terceiro filho teria afirmado, em depoimento, que não ouviu discussão, barulho de carro ou moto em fuga. Que quando chegou na cena do crime encontrou o irmão Flávio próximo ao pai, caído. Ele garantiu ainda que o celular de Anderson, que está sumido, foi entregue a Flordelis.

Ainda em depoimento, o filho disse que o pastor já recebeu uma mensagem com ameaça de morte e uma das irmãs ofereceu R$ 10 mil a Lucas para que cometesse o crime. Flordelis e três filhas já teriam colocado remédios na comida de Anderson, por isso, sua saúde estava debilitada.

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.