Leia também:
X Suspensa, Flordelis participa de reunião do PSD e assume cargo

Ex-secretário de Educação do RJ, Pedro Fernandes é preso

Ele é apontado como líder de organização criminosa que desviava recursos de projetos sociais

Gabriela Doria - 30/09/2020 10h26 | atualizado em 30/09/2020 10h36

Pedro Fernandes foi preso por envolvimento em esquema de corrupção no estado do Rio Foto: Divulgação

O ex-secretário estadual de Educação do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, foi preso nesta quarta-feira (30) pela Polícia Civil. Fernandes é um dos alvos da operação Catarata II, deflagrada no dia 11 deste mês. Na ocasião, ele não foi detido porque apresentou um laudo atestando positivo para a Covid-19. Desde então ele cumpria prisão domiciliar.

O ex-secretário recebeu a ordem de prisão preventiva em sua casa, que fica em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

O Ministério Público Estadual coloca Pedro Fernandes como o suposto chefe de uma organização criminosa que fraudava licitações para projetos sociais que envolviam a Fundação Leão XIII, da qual Fernandes foi presidente. O MP classificou o órgão como “uma verdadeira máfia” que sustentava grupos criminosos através de propinas e ganhos políticos.

Segundo estimativa das autoridades, a organização criminosa chegou a movimentar mais de R$ 117 milhões, entre 2013 e 2018, com pregões superfaturados. Pedro Fernandes foi exonerado da Secretaria de Educação no último dia 16.

A prisão de Pedro Fernandes teria de acontecer assim que ele testasse negativo para a doença. Porém, na data marcada, que era 20 de setembro, o ex-secretário continuava testando positivo para o vírus, o que adiou o cumprimento da prisão preventiva.

Para conseguir mais tempo, a defesa de Pedro Fernandes argumentou em nota que o acusado ainda não teve alta médica e que ainda poderia estar transmitindo o vírus.

– Isso quer dizer que ele ainda pode estar transmitindo a doença. Mesmo assim, houve a decisão de hoje que revoga a prisão domiciliar. Pedro Fernandes sempre esteve à disposição da Justiça e vai demonstrar sua inocência no curso do processo – disse a nota.

O suspeito será encaminhado para a Corregedoria da Polícia Civil, onde fará exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) do Rio. Em seguida ele será levado para o presídio de Benfica.

Leia também1 SC: PF faz buscas na casa do governador por fraude na Saúde
2 Suspensa, Flordelis participa de reunião do PSD e assume cargo
3 Alerj escolhe deputados que julgarão impeachment de Witzel
4 MPF quer pena maior a Cabral por lavagem de R$ 10 milhões
5 TJ escolhe desembargadores que julgarão impeachment de Witzel

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.