Leia também:
X ‘Eu boto o dinheiro onde quiser’, diz prefeito pego com R$ 505 mil

Eduardo Paes minimiza atos do 7 de setembro: ‘Não haverá nada’

Prefeito do Rio ainda chamou bolsonaristas de "doidinhos"

Monique Mello - 03/09/2021 14h03 | atualizado em 03/09/2021 14h12

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, não “leva fé” nos atos do dia 7 de setembro Foto: Agência Brasil/Tomaz

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), falou com desdém sobre as manifestações programadas para o dia 7 de setembro. Para ele, no dia que promete muitos ânimos exaltados, “não vai haver nada”.

– Posso estar absolutamente cego, equivocado. Mas a minha impressão é de que não vai ter nada. Vai ter uma cota grande de irresponsáveis que defendem teses estapafúrdias, golpe militar, AI-5. Nem eles sabem do que estão falando, essa é a verdade – disse Paes em entrevista ao podcast A Malu Ta ON.

No terceiro mandato à frente da prefeitura do Rio, Paes classifica os bolsonaristas como “doidinhos” e “uma parcela de gente inculta absurda, com quem não vale a pena perder tempo.”

Ainda sobre o bolsonarismo, o prefeito relembrou um embate recente com o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (Republicanos) acerca da obrigatoriedade do passaporte da vacina.

– Não consigo discutir a sério com pessoas que acham que a terra é plana, que quem tomar vacina vai virar jacaré, que é coisa de comunista…. Só tratando mesmo jocosamente. Não vou entrar num debate sobre direitos individuais e coletivos, até porque essa gente nunca leu nada na vida. Com esse debate, eu não perco meu tempo – disparou.

Leia também1 Bolsonaro diz que 7 de setembro é "ultimato" do povo sobre o STF
2 7 de setembro: Bolsonaro prevê 2 milhões de pessoas na Paulista
3 No CPAC, Onyx dá recado ao STF e dispara: 'Aqui não tem covarde'
4 Bolsonaro convida Luiz Fux para estar nas ruas no 7 de setembro
5 "Ninguém precisa temer o 7 de setembro", destaca Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.