Leia também:
X “Mudou o humor do Brasil”, diz Bolsonaro sobre Musk no Twitter

Diretora de escola investigada por maus-tratos se entrega

Roberta Serme estava foragida há mais de um mês após decisão da Justiça que decretou a prisão dela

Paulo Moura - 29/04/2022 08h23 | atualizado em 29/04/2022 10h01

Crianças amarradas dentro de escola infantil em São Paulo Foto: Reprodução/Redes Sociais

A diretora Roberta Regina Rossi Serme, gestora da escola Colmeia Mágica, instituição na Zona Leste de São Paulo investigada por maus-tratos contra crianças, se apresentou à Polícia Civil no fim da noite desta quinta-feira (28). De acordo com o portal G1, Roberta se apresentou no Distrito Policial Central de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, por volta de 23h30.

Roberta Serme ficou foragida durante 37 dias. A Justiça de São Paulo havia decretado a prisão temporária da diretora no dia 22 de março e, desde então, os policiais não tinham conseguido localizá-la. Após os trâmites, Roberta deve ser levada para o Presídio de Tremembé, em São Paulo, onde já está presa a irmã dela, a pedagoga Fernanda Carolina Rossi Serme.

O CASO
Imagens que passaram a circular na internet, e que causaram grande revolta e repercussão, mostravam bebês amarrados com lençóis e chorando em um banheiro da escolinha Colmeia Mágica. As crianças apareciam com os braços imobilizados, presas em cadeirinhas de bebês embaixo de uma pia e próximas a uma privada.

Diante do ocorrido, a Justiça determinou a prisão temporária de Roberta, que foi convertida posteriormente para prisão preventiva, quando não há prazo pré-definido para duração para o tempo de prisão. Em seu posicionamento, o Ministério Público (MP) afirmou que os vídeos e os depoimentos mostravam que os alunos teriam sofrido “intensos sofrimentos físicos e psicológicos”.

Em depoimento, Roberta confirmou que as gravações foram feitas na escola Colmeia Mágica, mas negou a prática de maus-tratos contra as crianças. A gestora escolar afirmou ainda que desconhecia quem teria feito isso, mas desconfiava que as cenas pudessem ter sido montadas por alguma funcionária insatisfeita para prejudicá-la.

Leia também1 "Mudou o humor do Brasil", diz Bolsonaro sobre Musk no Twitter
2 Após sintomas de AVC, esposa de Justin Bieber fala sobre saúde
3 Flávio Bolsonaro ironiza "3ª via, 4ª via, 5ª via": "Tudo puxadinho"
4 Bolsonaro ironiza Dilma após comissão negar indenização
5 Uber terá botão do pânico para acionar a polícia, no Rio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.