Leia também:
X G20: Jair Bolsonaro convida Macron para visitar Amazônia

Deputada do PSOL antiarmas pede escolta após ameaças

Talíria Petrone foi criticada e chamada de hipócrita nas redes sociais

Gabriela Doria - 28/06/2019 09h43 | atualizado em 28/06/2019 10h11

Talíria Petrone foi ameaçada de morte Foto: Reprodução

A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) se tornou alvo de críticas nas redes sociais após pedir escolta policial ao governador do Rio, Wilson Witzel. Talíria, que é contra o armamento da população e pede a desmilitarização da Polícia Militar, recorreu à segurança institucional após a Polícia Federal desvendar um plano para matar a parlamentar.

Após um pedido oficial do presidente da Câmara dos Deputados para que fornecesse escolta à deputada, o governador Witzel afirmou que a competência deste caso é da Polícia Federal. Witzel também disse que a parlamentar pode ser protegida por uma escolta da Polícia Militar do Rio de Janeiro quando vier ao estado para atividades relacionadas ao cargo, regra que se aplica a qualquer parlamentar.

Nas redes, internautas questionaram o posicionamento de Talíria e apontaram a incoerência entre sua ideologia e seu pedido de escolta. A parlamentar era amiga próxima da vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018.

Leia também1 Bolsonaro revoga decreto que flexibiliza porte de armas
2 Tá Explicado - Entenda o que é e o que defende o Comunismo
3 Freixo defende Bolsonaro em caso de sargento com cocaína

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.