Leia também:
X FHC diz que Doria é candidato à Presidência e tem seu voto

Delegado é afastado após dizer que há ‘ratos’ na polícia

Declarações foram dadas em um podcast com Gabriel Monteiro

Ana Luiza Menezes - 31/07/2021 21h55 | atualizado em 01/08/2021 08h02

Delegado Carlos Alberto da Cunha Foto: Reprodução

O delegado Carlos Alberto da Cunha, da 4ª Seccional do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo, usou as redes sociais para revelar que foi afastado das ruas , além de ter que entregar armas e distintivo após uma declaração feita durante um podcast com o vereador e ex-PM Gabriel Monteiro (PSD).

Ele afirmou que o afastamento ocorreu após ele ter dito que há “ratos” na polícia.

– A gente tem que ir para a polícia. O que a gente não pode é deixar de ir para a polícia, porque os ratos continuam mandando, tem que começar o processo de expulsão de rato. Quem é correto trabalha, e o rato que corra. A gente tem que estar aqui na internet ganhando poder e crescendo, para as raposas que estão embrenhadas lá em cima, mamando nas tetas há anos, para enxotar elas. Porque se não enxotar essa podridão, não tem como fazer segurança, tem que aposentar. ‘Ó, quantos anos você tem? 55, 60? Cara, 60 não é mais na polícia. Se tu tá com 60 e está na polícia, é porque tu tem algum outro interesse, porque você não está afim de correr atrás de vagabundo’. Vai dar aula na faculdade, vai desenvolver outra atividade intelectual, vai ser advogado, secretário, qualquer coisa, mas para ser polícia, você tem que ter um motivo – disse.

Cunha participou do podcast no dia 3 de junho.

Leia também1 SP autua Jair Bolsonaro outra vez pelo não uso de máscara
2 'O presidente é um homem muito capacitado no que faz'
3 Pastor intimado por se opor à ideologia de gênero agradece apoio
4 Moraes nega pedido para Kicis testemunhar a favor de Silveira
5 CPI: Senadores pedem quebra de sigilo bancário da Jovem Pan

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.