Leia também:
X Bolsonaro revela rotina para Leda Nagle: ‘Durmo só 4 horas’

Damares comenta notícia sobre estupro e morte de bebê

Familiares são suspeitos do crime

Arina Paiva - 02/08/2019 18h21

Damares comenta notícia sobre morte e estupro de bebê Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Jair Bolsonaro falou em sua rede social sobre o caso de estupro de bebês. De acordo com reportagem feita por Pleno.News, casos de estupro de bebês acontecem cada vez mais.

– E ainda tem gente que diz que a ministra exagera e faz muito barulho sobre estupros de bebês – declarou Damares Alves.

O caso se refere a um recém-nascido de apenas um mês que morreu após sofrer estupro. O caso aconteceu em Tutóia, uma cidade do interior do Maranhão.

De acordo com o laudo médico, a criança apresentava “fissuras agudas por trauma físico recente. Além de lesões anais contusas por instrumento de ação contundente de características recentes”.

– A linha de investigação é que seja alguém da família. Não há como fugir disso uma vez que a criança estava na casa do pai e lá estavam outros familiares. Infelizmente, o exame não consta quem é o autor, apenas constata as lesões indicativas de crime sexual. Então tudo vai ser devidamente apurado, estamos intimando todos os familiares. Vamos ouvir um a um e tentar chegar de forma precisa quem seria o autor dessas lesões – declarou o delegado Cristiano Morita.

A mãe da criança morreu no parto e o bebê vivia com o pai, avó, avô e mais três tios.

– Estamos diante do caos. São muitos estupros de bebês no Brasil! Nossa Secretaria da Criança e do Adolescente já está acompanhando este caso. Chega de tanta dor e sofrimento – completou Damares.

 

Leia também1 Caneta afiada! Damares já negou 1.381 pedidos de anistia
2 Damares diz que Governo dará atenção a religiões africanas
3 O comércio com estupro de bebês no Brasil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.