Leia também:
X Caio Coppolla esclarece ‘apoio’ a Sergio Moro: “Fake news”

Cidade do Rio amplia exigência de comprovante de vacinação

Item seria exigido até em meios de transporte, mas prefeito Eduardo Paes decidiu voltar atrás

Paulo Moura - 02/12/2021 11h42 | atualizado em 02/12/2021 13h26

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes
Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes Foto: CMRJ/Renan Olaz

A Prefeitura do Rio de Janeiro decidiu ampliar, nesta quinta-feira (2), a exigência do comprovante de vacinação na capital fluminense. Com a medida, o item passa a ser cobrado em mais estabelecimentos. O decreto foi publicado na edição desta quinta do Diário Oficial da cidade.

– A gente está muito preocupado com a nova variante. A princípio, é uma variante que responde bem à vacinação. A vacina protege contra a variante Ômicron. Não temos nenhuma evidência que indique o contrário – afirmou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

A vacinação a ser comprovada aos locais e veículos exigidos deve corresponder à primeira e segunda dose ou à dose única, quando for o caso, de acordo com o cronograma instituído pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio em relação à idade do indivíduo.

Passam a exigir o comprovante: bares, lanchonetes, restaurantes e refeitórios (áreas internas ou cobertas); transporte de passageiros por taxímetro ou aplicativo; boates, casas de espetáculos, festas e eventos em geral; hotéis, pousadas e aluguel por temporada; salões de beleza e centros de estética; além de shopping centers e centros comerciais.

A solicitação do documento segue valendo para locais que já faziam a exigência, como academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes e vilas olímpicas; estádios e ginásios esportivos; cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação; museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in.

PAES DESISTE DE EXIGÊNCIA EM TRANSPORTE E SHOPPINGS
Inicialmente, a Prefeitura do Rio havia incluído táxis, carros de aplicativo e shoppings entre os estabelecimentos e serviços que precisam exigir comprovantes de vacinação. Entretanto, no fim da manhã desta quinta, o prefeito Eduardo Paes afirmou que houve um exagero e que na sexta-feira (3) um novo decreto vai ser publicado com o ajuste, retirando a obrigatoriedade nestes locais.

– O passaporte vacinal é um garantia pra que a cidade continue aberta. É a garantia de que o Rio vai voltar a funcionar, como voltou. Ele diminui o risco de transmissão e protege as pessoas do risco de morte. Eu assinei o decreto mas tem de ver a praticidade e efetividade de algumas medidas mesmo. Não adianta criar medidas que a gente sabe que ninguém vai cumprir – disse Paes.

Leia também1 Michelle Bolsonaro comemora aprovação de André Mendonça
2 Índia anuncia a detecção dos 2 casos da variante Ômicron
3 Prefeitura de São Paulo cancela Réveillon e mantém máscara
4 "Um passo para um homem, um salto para os evangélicos"
5 "Abaixo de Deus, apenas o STF no Brasil", diz senador Omar Aziz

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.