Leia também:
X Guedes: Mandetta recebeu R$ 5 bilhões para início da pandemia

Chacina em escola: “Chegamos lá, uma cena de terror”

Assassino de três crianças e de duas funcionárias tentou se matar e encontra-se internado, em estado grave

Monique Mello - 04/05/2021 13h38 | atualizado em 04/05/2021 14h59

Gisela Hermann, secretária de Educação de Saudades (SC), esteve na creche invadida na manhã desta terça-feira (4) por um jovem munido de um facão. Três crianças e duas funcionárias foram mortas no ataque. Gisela descreveu o cenário encontrado como “uma cena de terror”.

– Chegamos lá, uma cena de terror. Consegui entrar na escola. Tinha um cara deitado no chão, mas ainda vivo, uma professora morta, uma criança morta também. A sala estava fechada, não deixaram a gente entrar – afirmou Gisela.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito atacou primeiro uma professora de 30 anos, logo na entrada do prédio. A vítima chegou a tentar correr, porém sem êxito. Ela foi atacada e morta pelo homem. Em seguida, ele se dirigiu a uma sala de aula e desferiu golpes nas crianças presentes. Três crianças morreram; duas ainda no colégio. Todas eram menores de 2 anos. Uma funcionária terceirizada foi levada para um hospital em Chapecó, mas não resistiu.

– A gente se solidariza com todas as famílias. O cara veio para matar mesmo – declarou a secretária.

Conforme investigação preliminar, a tragédia só não foi maior porque as professoras perceberam o atentado e trancaram as outras salas que tinham aulas no momento. Estima-se que havia um total de 30 crianças na escola.

– Ele teria deixado o local e foi abordado por populares. Neste momento, ele tentou contra a própria vida, mas não conseguiu. […] O que entendo até o momento é que a intenção dele era fazer a barbárie e o maior número de vítimas possível e tentar suicídio, mas não conseguiu se matar – acredita o delegado.

De acordo com o delegado de Pinhalzinho, Jeronimo Marçal Ferreira, o agressor foi contido por um pedreiro e um metalúrgico.

– [Ele] só não foi mais longe porque houve intervenção de um metalúrgico e de um pedreiro, que pegaram o garoto e o interromperam com golpes de barras de ferro – disse o delegado.

Ao ser contido pelos homens, o suspeito tentou tirar a própria vida com golpes de faca no pescoço, conforme nota da Polícia Militar.

SEGUE A ÍNTEGRA DA NOTA:

A guarnição foi acionada por populares indicando que um masculino havia invadido a Escola Municipal Infantil Pró-Infância Aquarela de posse de um facão. A guarnição deslocou-se até o local e o agente, um homem de 18 anos (sem passagens anteriores), já havia sido detido por populares.

Uma professora e duas crianças estavam em óbito. Outra professora e mais duas crianças com lesões gravíssimas. Os ânimos estavam bastante alterados e difícil de colher informações. Segundo dados colhidos, o homem invadiu a escola, entrou na sala de aula portando um facão e começou a desferir golpes nas pessoas que ali estavam.

As vítimas gritaram por socorro e populares entraram na escola e detiveram o agente. O homem realizou autolesão na região do pescoço com o facão. Ainda segundo populares, o homem relatou ter sofrido bullying, porém não estudou na creche. Sem mais informação sobre motivação.

O agente foi transferido para o Hospital de Pinhalzinho. As vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Saudades, sendo que uma delas, a professora, veio à óbito.

A governadora do estado, Daniela Reinehr, decretou luto oficial de três dias.

– Manifesto profunda tristeza e presto minha solidariedade. Determinei que o governo dê todo o amparo necessário às famílias – escreveu Reinehr nas redes sociais.

 

Leia também1 Covardia! Homem mata mulher, filha e enteada a facadas em SP
2 Leão Lobo revela ter descoberto ao vivo que namorava assassino de crianças
3 Jovem invade escola com facão e mata crianças e funcionárias
4 Família de marido de Flordelis pede indenização de R$ 800 mil
5 Milhares vão a show nos EUA pela 1ª vez após serem vacinados

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.