Leia também:
X MPSP defende barrar cachê de Ludmilla por fazer “L” em show

Caso Henry Borel: Justiça manda prender Monique novamente

Decisão acatou um recurso do Ministério Público

Pleno.News - 28/06/2022 17h04 | atualizado em 28/06/2022 17h31

Monique Medeiros Foto: Agência O Globo/Brenno Carvalho

O desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou que a pedagoga Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, volte para a cadeia. Ela é ré pela morte do próprio filho, Henry Borel. As informações são do G1.

A decisão do desembargador acatou um recurso do Ministério Público (MP) contra a decisão da 2ª Vara Criminal do Rio que, em abril, permitiu que Monique fosse solta.

Além de Monique, o ex-vereador Dr. Jairinho também é réu pela morte da criança. De acordo com a polícia, Jairinho teria torturado o menino, e Monique sabia.

Leniel Borel, pai de Henry, se manifestou a respeito da decisão contra Monique.

– O sentimento é de justiça sendo feita. Respeitamos a decisão [anterior, que concedeu a prisão domiciliar], mas não concordamos. Graças a Deus temos o Ministério Público, o promotor Fábio Vieira. A decisão foi por unanimidade e não tinha nada de novo. Os desembargadores dizem que foi uma decisão [da primeira instância] híbrida e confusa, unidirecional. A Justiça não estava sendo feita. E não estou falando só do Leniel como pai, mas como cidadão. Eu luto todo dia por justiça pelo meu filho, para que a verdade apareça… Um ano e 4 meses… Talvez aqueles dois nunca falem – comentou.

Leia também1 Justiça nega liberdade ao ex-vereador Dr. Jairinho
2 'Sancionei a Lei Henry Borel para reduzir injustiças', diz Bolsonaro
3 Bolsonaro sanciona Lei Henry Borel, que protege menores
4 Caso Henry Borel: MP recorre da decisão que soltou Monique
5 Leniel: "Monique é tão culpada pelos crimes quanto o Jairo"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.