Leia também:
X Bolsonaro minimiza: ‘Datafolha não é parâmetro para nada’

Cambistas vendem ‘passaporte da vacina’ falso em show no Rio

Documento fraudado era para acesso ao show de Diogo Nogueira

Monique Mello - 19/09/2021 13h27 | atualizado em 19/09/2021 13h33

Casa de show Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro Foto: Divulgação

Na noite da última sexta-feira (17) cambistas estavam vendendo passaportes da vacina contra a Covid-19 falsos por R$ 100. Os passaportes eram para garantir a entrada no show do cantor Diogo Nogueira na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

A pessoa informava seu nome ao falsário, bem como alguns outros dados, e recebia o comprovante fraudado na hora.

Desde o último dia 15 de setembro, por meio de decreto do prefeito Eduardo Paes, que estava no show, a prefeitura do Rio começou a exigir que cariocas e turistas apresentem o certificado de vacinação ao adentrarem em locais com público.

A Câmara de Vereadores aprovou e o prefeito sancionou uma lei que prevê multa de R$ 1 mil para quem fraudar comprovante de vacinação. A mdida também começou a valer em 15 de setembro.

– A SMS-Rio ressalta que o comprovante de vacinação é válido somente com a identificação e assinatura do vacinador, que são incluídos após a aplicação da vacina. Sem o preenchimento completo e correto, o documento é considerado adulterado. Quem subtrai e usa documentos de vacinação adulterados está sujeito às penalidades legais e criminais – informou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Rio) em nota.

 

Leia também1 Justiça nega ação de deputado do PSL contra passaporte da vacina
2 "Meu filho morreu pela vacina", diz mãe de jovem que sofreu AVC
3 Vacinados que pegaram Covid são 81,7% dos internados em SP
4 Gisele sai em defesa de modelo atacada por post antivacina
5 Renan critica suspensão de vacina a adolescentes e fala em 'crime de Bolsonaro'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.