Leia também:
X Termina nesta quarta prazo para atualizar título de eleitor

Autora de fake sobre caixões com pedras pede desculpas

Mulher publicou vídeo com notícia falsa sobre enterros em Belo Horizonte

Paulo Moura - 06/05/2020 10h03 | atualizado em 06/05/2020 10h14

Mulher compartilhou vídeo com notícia falsa sobre caixões Foto: Reprodução

A autora de um vídeo com a notícia falsa de que caixões de vítimas da Covid-19, em Belo Horizonte, estariam sendo enterrados cheios de pedra e madeira se apresentou à Polícia Civil na terça-feira (5), em Jacutinga, a 500 quilômetros da capital mineira, e pediu desculpas pelo fato.

No vídeo, compartilhado pelas redes sociais, a mulher debocha da situação e diz que o município de Belo Horizonte está “infestado de coronavírus”.

– Aqui em Minas está acontecendo um caso muito engraçado. Principalmente em BH. Você sabe quem é o prefeito de BH, né? Estao enterrando um monte de gente com coronavírus em BH. A própria familia está enterrando, para não ter aglomeração. Mandaram ir lá e arrancar todos os caixão (sic) para poder fazer o exame para ver se é coronavírus mesmo. E sabe o que tem dentro dos caixão (sic)? Pedra e madeira. Palhaçada não é não? – narra a mulher.

A fake, porém, não deve sair de graça para a mulher. Segundo delegados da Polícia Civil de Minas, ela poderá responder por até três crimes e, se condenada, pode pegar até nove anos de prisão.

Os crimes atribuídos a ela seriam de denunciação caluniosa, difamação contra o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), que é citado na filmagem, e pela contravenção penal de propagação de pânico. Além de prisão, a Justiça pode determinar o pagamento de multa, com valor a ser determinado pelo juiz.

Leia também1 Família abre caixão de 'morta' por Covid e acha outro corpo
2 Caixões não foram enterrados vazios em BH e Manaus
3 Compositor Aldir Blanc morre de Covid-19 aos 73 anos no RJ

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.