Leia também:
X Em SP, Covas tem 48% e Boulos 32%, aponta pesquisa XP/Ipespe

Anderson do Carmo: Advogado da família diz que foi ameaçado

Ângelo Máximo afirmou que sofreu intimidação de homem que ele acredita ser segurança ou parente de Flordelis

Paulo Moura - 18/11/2020 13h34

Advogado Angelo Máximo Foto: Pleno.News/Ana Luiza Menezes

O advogado Ângelo Máximo, que atende a família do pastor Anderson do Carmo, líder religioso assassinado em junho de 2019, afirmou que foi alvo de ameaça na última sexta-feira (13), durante a audiência do caso. Apesar de não identificar o autor, Máximo disse acreditar que a intimidação tenha partido de um segurança da deputada federal Flordelis (PSD-RJ).

De acordo com o advogado, a ameaça teria acontecido por volta das 21h, quando um homem, ainda não identificado, passou a encará-lo e fazer um gesto com as mãos imitando uma arma de fogo. Máximo disse que chegou a informar sobre os gestos ao promotor e à juíza responsáveis pelo caso.

– Era um homem forte, careca, camisa de cor escura. Ele me encarava e fazia o uma arma com a mão, apontando para a própria cabeça. Quando percebi a ameaça informei ao Promotor de Justiça e Juíza de Direito presentes na audiência. Acredito que seja um segurança ou parente da deputada Flordelis, pois vi certa intimidade com familiares da deputada – relatou.

Além do fato ocorrido durante a audiência, o advogado relatou que, ao longo do processo, sofreu um total de sete ameaças, sendo este o segundo Registro de Ocorrência. O defensor ainda afirmou que qualquer ato contra ele seria ordenado pela deputada.

– Quero deixar claro que qualquer ato atentatório a minha integridade física ou da minha família não ocorrerá sem a permissão da acusada Flordelis, assim como não aconteceu o assassinato sem a permissão dela – denunciou.

Por meio da assessoria de imprensa, a parlamentar informou que não possui conhecimento sobre esse fato e alega que sua equipe é treinada e orientada a se comportar de forma cordial, se abstendo de expressar qualquer tipo de opinião pessoal, seja por palavras ou gestos.

Já a Polícia Civil declarou que está investigando o caso e solicitou as imagens do Plenário onde ocorreu, no dia 13 de novembro, a audiência relacionada ao crime que vitimou o pastor Anderson do Carmo e dos corredores do Fórum. O caso foi registrado na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo.

Leia também1 Filho de Flordelis não consegue se reeleger no Rio de Janeiro
2 Flordelis sobre Anderson: 'Nunca será esquecido, querido amor'
3 Delegado diz que Flordelis "é a mais perigosa" do caso
4 Delegada do caso Flordelis: Havia relação sexual entre todos
5 Neta de Flordelis diz que a avó tem contato com investigada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.