Leia também:
X Modelo resgatada em favela do Rio decide se tratar em casa

Amapá sofre com falta de água e racionamento de comida

Estado foi afetado por um apagão e está há dias sem energia elétrica

Pleno.News - 06/11/2020 16h30 | atualizado em 06/11/2020 16h41

Fila de pessoas em busca de água em Macapá Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Há quase três dias sem energia elétrica no Amapá, moradores de Macapá têm relatado falta de água, de alimentos e até a impossibilidade de compra para itens básicos. Sem uma previsão concreta de quando a situação deve se normalizar, a população começa a se organizar para uma manifestação no próximo domingo (8), para cobrar uma posição dos governantes, enquanto se vira para ter o básico.

A historiadora Marcella Viana, de 27 anos, conta que está recebendo amigos de todas as regiões de Macapá na quitinete de dois quartos que ela divide com a mãe, de 50 anos, e as irmãs, de 8 e 20.

– A circulação de pessoas lá está alta porque tenho muitos amigos que moram sozinhos e estão sem ter como comer ou tomar banho e minha mãe ajuda eles – relata.

Ela se refere a um restaurante no centro da cidade, que funciona por gerador e onde ela tem ido desde a última quarta-feira (4) para carregar o celular e tentar divulgar a situação do Estado.

Além disso, Marcella explica que algumas pessoas têm recorrido a lagos, poços e ao Rio Amazonas, onde recolhem água tanto para o banho como para beber, mesmo que ela não seja potável.

Para quem mora nas comunidades mais afastadas, os baldes e litros de água fluvial podem custar até R$ 20 para o transporte. Nos supermercados, o galão com um litro da água mineral já chega a custar R$ 35, e mesmo assim não é suficiente para toda a população. Na noite de quinta-feira (5), a Prefeitura de Macapá começou a distribuir caminhões pipa para abastecer algumas regiões da capital.

– Eu só saio de casa atrás de sinal depois que já consegui água e comida pra minha família. Ontem ainda consegui comprar água, hoje consegui baldes que as pessoas recolheram com o que caiu da chuva na véspera – conta ela.

Os poucos supermercados que ainda estão vendendo água, ela explica, já começaram a racionar a venda por pessoas.

– Mas a compra está sendo diária porque não tem gelo na cidade também então as pessoas não têm onde armazenar – ressaltou.

Morando no bairro de Novo Buritizal, a estudante Cássia Riane Amanajas Cordeiro, de 14 anos, conta que ainda não viu nenhum dos caminhões pipa disponibilizados pela Prefeitura na área onde reside com os pais.

– Estamos sem água também, até para beber. Os caixas eletrônicos não estão funcionando, então está difícil até de comprar comida, pois nem todos os comércios aceitam cartão de crédito – relata.

Desde que a energia elétrica caiu na cidade, a família tem conseguido o mínimo de água por meio dos parentes e vizinhos próximos que têm poços.

O advogado Hélio Castro, de 34 anos, está ajudando a organizar o “Reacende Amapá”, protesto marcado para as 16h do domingo,na Praça da Bandeira, em Macapá. O objetivo é reunir a população vestida de preto, para simbolizar a falta de energia que assola o Estado há três dias e, simultaneamente, impedir que o ato seja tomado por bandeiras políticas.

– Nossa única bandeira é a do Amapá – afirmaram os membros do grupo.

Castro e os pais, os funcionários públicos Gersuliano da Silva e Ana Célia Pinto, de 63 e 55 anos, estão conseguindo tomar banho com a água da chuva que ficou retida na piscina.

– Não tem como salvar os alimentos porque a geladeira não funciona e não temos gerador. A água da torneira parou de cair no primeiro dia de apagão – explicou, contando que alguns amigos também conseguiram recolher a água que caía das calhas nos dias anteriores.

A reportagem tentou contato com a Secretaria de Saúde do Estado e de Macapá, assim como as assessorias do município e do Estado do Amapá, mas não obteve sucesso.

*Estadão

Leia também1 Incêndio em subestação provoca apagão no Amapá
2 Apagão no Amapá chega a 4 dias com filas em postos e mercados
3 'Trump não é a pessoa mais importante do mundo. Deus é'
4 O que acontece com o Brasil se Biden ganhar as eleições?
5 Bolsonaro viaja para Alagoas e volta a ser ovacionado pelo povo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.