70% dos cariocas deixaria o Rio por causa da violência

Medo e políticas públicas de segurança ineficazes são consenso entre habitantes do Rio

Pleno.News - 07/10/2017 12h06

Enquanto os turistas querem entrar, a maioria dos moradores quer sair. Uma pesquisa do Datafolha, divulgada neste sábado (7), mostrou que sete em cada 10 moradores do Rio deixariam a cidade por causa da violência. 74% dos entrevistados avaliaram as políticas públicas de segurança do governador Luiz Fernando Pezão como ruins ou péssimas. O desejo de sair do Rio está presente em todas as regiões e classes sociais.

Ocupação militar na Rocinha Foto: Agência Brasil/Vladimir Platonow

Ainda de acordo com o estudo, das 812 pessoas ouvidas, 90% declararam que se sentem inseguras ao andar pelas ruas à noite. A população também está descrente na eficiência das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). 62% acreditam que elas não melhoraram a segurança na cidade; 57 % dizem que elas não melhoraram a segurança dentro das comunidades e outras 56% disseram que o entorno dos locais da UPP não ficaram mais seguros. Para 70%, este modelo de segurança precisa ser revisado.

Sobre a atuação das forças militares, que recentemente estiveram no Rio para dar suporte às polícias no combate à violência, 83% dos entrevistados disseram que são a favor; 15% se declararam contra. Já 52% das pessoas afirmaram que a presença do Exército não mudou a violência em nada, 44% acreditam que melhorou e 2% que ficou pior.

Acompanhando o desejo de sair do Rio está o sentimento de medo com relação aos bandidos e aos agentes públicos de segurança. 49% das pessoas disseram que sentem mais medo dos bandidos; 23% temem mais os policiais e outros 23% sentem medo proporcional entre policiais e bandidos. 2% afirmaram que não têm medo de nenhum dos dois. O medo de policiais aumenta para 28% nas camadas mais pobres da sociedade, sobretudo entre jovens de 16 a 24 anos – coincidentemente, jovens nesta faixa etária são umas das maiores vítimas de policiais.