Leia também:
X Zambelli critica Moraes, do STF: “Fiscal de mesa de bar?”

7 de setembro: Confederação libera caminhoneiros para atos

CNTA informou que os profissionais têm "condição de participar livremente na construção coletiva de uma sociedade mais justa, igualitária e solidária"

Henrique Gimenes - 05/09/2021 16h50 | atualizado em 05/09/2021 17h13

Confederação Nacional libera caminhoneiros para manifestações de 7 de setembro Foto: EBC/Antonio Cruz

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) divulgou nota, na sexta-feira (3), para falar sobre as manifestações do dia 7 de setembro. No texto, a entidade diz compreender “que trata-se de um dia de atos pelo país organizados pela população” e afirma que os caminhoneiros têm “condição de participar livremente na construção coletiva de uma sociedade mais justa, igualitária e solidária”.

Apesar disso, a confederação lembrou que os atos “não carregam em seu escopo nenhuma reivindicação específica relacionada à atividade profissional do caminhoneiro autônomo”.

Também afirmou que “ventual participação de um caminhoneiro na manifestação do dia 07 de setembro representará a vontade individual desse cidadão brasileiro, que decide por si próprio exercer seu direito de livre manifestação e liberdade de expressão”.

Por fim, a CNTA explicou que os “representantes da categoria dos caminhoneiros autônomos sempre estabelecerão como premissas o diálogo, o respeito às leis, a ordem e o esforço conjunto, visando o desenvolvimento e o crescimento do país”.

Leia a nota completa:

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos – CNTA – vem a público reafirmar que sempre apoiará as ações que refletem os interesses coletivos da categoria, com respeito à ordem pública, às instituições, às leis e à sociedade como um todo.

Em relação às manifestações anunciadas para acontecer no dia 07 de setembro, a CNTA compreende que trata-se de um dia de atos pelo país organizados pela população, convocados e divulgados nas redes sociais e em grupos de aplicativos de mensagens e que não carregam em seu escopo nenhuma reivindicação específica relacionada à atividade profissional do caminhoneiro autônomo.

No entanto, a entidade não pode se furtar de que o caminhoneiro autônomo antes de tudo é um cidadão brasileiro e, consequentemente, um sujeito de direitos e obrigações, detendo toda a condição de participar livremente na construção coletiva de uma sociedade mais justa, igualitária e solidária.

Desse modo, eventual participação de um caminhoneiro na manifestação do dia 07 de setembro representará a vontade individual desse cidadão brasileiro, que decide por si próprio exercer seu direito de livre manifestação e liberdade de expressão.

Por fim, a CNTA e todas as entidades coligadas, federações, sindicatos, associações e cooperativas representantes da categoria dos caminhoneiros autônomos sempre estabelecerão como premissas o diálogo, o respeito às leis, a ordem e o esforço conjunto, visando o desenvolvimento e o crescimento do país.

Leia também1 MBL marca protesto na casa de Jair Renan, mas "leva bolo"
2 Rio e SC se negam a 'perseguir' PMs que irão ao 7 de setembro
3 MP de SP recomenda uso de 'força' para impedir PMs em atos
4 Bolsonaro manda aviso ao STF: "Com a nossa liberdade não"
5 Local da facada deve ter roda de orações em 7 de Setembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.