Leia também:
X Neymar é criticado por festa de Réveillon com 500 pessoas no RJ

Caravelas-portuguesas surgem em SP e impressionam banhistas

Animais possuem tentáculos que podem chegar a 20 metros e provocar queimaduras graves

Thamirys Andrade - 27/12/2020 18h57 | atualizado em 28/12/2020 10h19

caravelas-portuguesas-surgem-no-litoral-de-sp
Caravelas-portuguesas vivem em todas as regiões tropicais dos oceanos Foto: Arquivo Pessoal/Edson Ventura

Nos últimos dias, a surpreendente aparição de centenas de caravelas-portuguesas nas praias de Peruíbe (SP) despertou medo e curiosidade em moradores e turistas. Apesar de fascinantes, esses animais, pertencentes ao grupo dos organismos cnidários, podem provocar queimaduras de até 3° grau e até a morte em seres humanos.

Para os desavisados, no entanto, os seres translúcidos de tons que variam entre azul, roxo e rosa podem ser facilmente confundidos com sacos plásticos ou preservativos. Foi o que aconteceu à turista e publicitária Anna Seabra, de 39 anos, entrevistada pelo G1.

– Se estivesse passando [por] ali sozinha, [eu] ia achar que era um saco plástico, uma camisinha ou algo do tipo, porque é bem estranho. Fiquei bem assustada com as caravelas, porque elas parecem um ser de outro planeta. Cheguei bem pertinho, pude vê-las respirando. É muito doido mesmo. Não é uma coisa que a gente vê todo dia – disse.

Para os habitantes do município do litoral paulista, a novidade não é a existência das águas-vivas, mas a excessiva presença delas ali. Segundo biólogos, a aparição de centenas desses organismos no local pode ser explicada pela corrente marítima, já que eles não nadam, apenas boiam.

CARAVELAS-PORTUGUESAS
Mais do que um animal, as caravelas-portuguesas são organismos pluricelulares compostos por uma colônia, ou seja, vários seres conectados em um só. Logo abaixo de sua superfície molenga e de cores intrigantes, esses seres escondem tentáculos capazes de chegar a 20 metros e causar a morte em seres humanos. Isso porque os tentáculos são feitos de células urticantes e liberam toxinas, podendo provocar uma parada respiratória se o contato ocorrer na região torácica.

Especialistas recomendam que, em caso de queimadura, não se leve a mão ao local ferido, para que a toxina não se espalhe para outras partes do corpo. O melhor é jogar água, areia ou vinagre sobre o local machucado e buscar socorro/tratamento médico.

Leia também1 Mosca gigante é encontrada por cientistas em São Paulo
2 Inglaterra identifica mineral até então desconhecido no planeta
3 Neverland, de Michael Jackson, é vendido por US$ 22 milhões
4 Documentário mostra trabalho voluntário de princesa sueca
5 Elizabeth II deixa mensagem para afetados pela pandemia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.