Leia também:
X Rio: Obras do BRT Transbrasil só terminam em dezembro

Brasil não terá horário de verão pela 1ª vez em 34 anos

Decreto cancelando mudança no relógio foi publicado em abril pelo presidente Bolsonaro

Paulo Moura - 18/10/2019 13h44 | atualizado em 18/10/2019 15h28

Horário de verão não acontecerá em 2019 Foto: Pixabay

Para alguns dispensável, para outros uma “benção”, a existência do horário de verão divide opiniões. O fato é que 2019 será o primeiro dos últimos 34 anos em que a famosa frase “começou o horário de verão, adiante seu relógio em uma hora” não será ouvida. A mudança foi oficializada em abril, após o presidente Jair Bolsonaro assinar o fim da medida baseado em estudos técnicos, que apontaram para a eliminação dos benefícios da alteração.

A mudança, que impactava os relógios nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, foi adotada para aproveitar a iluminação natural no fim da tarde, quando o consumo de energia é mais alto, só que o horário de verão era também impopular por conta da falta de luz solar nas primeiras horas do dia, que dificultava a vida de trabalhadores e estudantes.

Criado em 1931 e adotado de forma contínua desde 1985, o horário foi perdendo força com o passar dos anos em virtude da melhora na tecnologia dos equipamentos eletrônicos e lâmpadas, que passaram a ser desenvolvidos privilegiando a redução no consumo de energia.

A impopularidade foi traduzida quando alguns estados, que originalmente faziam parte da alteração, resolveram abandoná-la. Além das saídas, a duração também foi reduzida ao longo dos últimos anos. Uma pesquisa feita pelo DataSenado, com cerca de 12 mil internautas, confirmou a vontade popular, 55% votaram contra continuar adiantando os relógios.

 

Leia também1 Bolsonaro assina decreto que revoga o Horário de Verão
2 Maioria dos brasileiros apoia fim do horário de verão
3 Rio: Obras do BRT Transbrasil só terminam em dezembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.