Leia também:
X Oposição quer convocação de Braga Netto para “explicações”

Jair Bolsonaro diz que mandou investigar preço da CoronaVac

Presidente afirmou que Butantan cobra o dobro do preço que a China pratica

Gabriela Doria - 22/07/2021 18h25 | atualizado em 22/07/2021 18h26

Presidente Jair Bolsonaro levantou suspeitas sobre o Instituto Butantan Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro revelou nesta quinta-feira (23) que mandou investigar o preço cobrado pelo Instituto Butantan sobre as doses da CoronaVac. Em entrevista à Rádio Banda B, o presidente revelou que a matriz chinesa da vacina estaria oferecendo o imunizante a 5 dólares, metade do preço que o Butantan cobra do governo federal pela vacina.

Segundo o presidente, ele já encaminhou o caso para a Controladoria Geral da União (CGU) e para o Tribunal de Justiça. Ele também deve encaminhar a ação ainda hoje ao Tribunal de Contas da União (TCU).

– Por que metade do preço agora? O que aconteceu com o Butantan? E outra, o Butantan também foi oficiado por nós para que se expliquem porque a matriz nos oferece a vacina pronta a 5 dólares, e eles, Butantan, ao receber o IFA da vacina, nos revendem a 10 dólares a vacina – disse o presidente.

Ainda segundo ele, “pode não ser nada”, mas “tudo indica” que “é algo assustador”.

– Pode ser que não haja nada de errado nisso tudo, mas o Butantan nunca nos apresentou uma planilha de preços. Temos, agora sim, uma questão a ser investigada. Pode não ser nada, pode, mas pelo que tudo indica no momento, é algo assustador que vem acontecendo lá no Butantan – afirmou.

Leia também1 Flávio é vacinado e ironiza: "Negacionista Jair Bolsonaro"
2 Pela 1ª vez, Justiça confirma demissão após recusa de vacina
3 Covid: Mortes e internações de idosos caem mais de 70% no país
4 Covid-19: 711 pessoas morreram no DF após 1ª dose de vacina
5 Eric Clapton recusa fazer shows em locais que exigem vacinação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.