Leia também:
X Covid: Rio avalia fim do uso de máscara a partir de novembro

Bolsonaro alfineta: ‘Quem não quiser a verdade vai lá, na Globo’

Presidente ainda se referiu à emissora como "imprensa sem moral"

Gabriela Doria - 01/10/2021 14h46 | atualizado em 01/10/2021 15h44

Presidente Jair Bolsonaro voltou a alfinetar a emissora Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro deu mais uma alfinetada na TV Globo, na live desta quinta-feira (30). Uma semana após afirmar que conversaria com a emissora somente ao vivo, para evitar manipulações, Bolsonaro agora “convidou” seus apoiadores a assistirem ao canal caso não queiram “ouvir a verdade”.

– Eu tô mostrando a verdade. Quem não quiser ouvir a verdade vai lá, na Globo – disse Bolsonaro ao comentar sobre a abordagem da emissora com relação ao aumento do preços do gás de cozinha e da energia elétrica.

Em outro trecho da live, Bolsonaro voltou a citar a emissora ao reclamar da “imprensa sem moral” e colocou em dúvida a isenção jornalística da Folha de S. Paulo, do Estadão e do site O Antagonista.

Uma outra declaração de Bolsonaro também chamou a atenção. Ao relembrar sua educação em colégio militar, Bolsonaro fez um comparativo com uma tradicional escola federal do Rio de Janeiro.

– A gente vê no Colégio Pedro II, no Rio [de Janeiro], meninos de vestido. Meu Deus do céu… Se ele fosse um gênio, já tava errado. Mas geralmente é um cara sem futuro nenhum. Tá na escola lá, com saia. Tem muita escola que a gente vê por aí… [onde] o objetivo não é estudar – disse o presidente.

Leia também1 Para Bolsonaro, Brasil foi o que menos sofreu na economia na pandemia
2 Guedes: "O presidente é popular, é muito diferente de populismo”
3 Ato contra Bolsonaro terá trio elétrico alugado por R$ 100 mil
4 "Quando invadirem sua casa, dá tiro de feijão", ironiza Bolsonaro
5 Temer desmente que Bolsonaro ligou 'aos prantos' para Moraes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.