Leia também:
X PGR se diz “convicta” de que é necessário prender Witzel

TSE traz Átila Iamarino em campanha contra fake news

Átila Iamarino aparece em comercial contra as fake news

Gabriela Doria - 02/09/2020 08h12 | atualizado em 02/09/2020 09h12

Átila Iamarino estrela campanha do TSE contra as fake news Foto: Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu usar o biólogo Átila Iamarino, que previu que o Brasil teria 1 milhão de mortos por Covid-19 até o fim de agosto, para estrelar uma propaganda contra as fake news nas campanhas eleitorais.

Na peça publicitária, Átila compara as notícias falsas a um vírus.

– Pense em uma coisa que se espalha progressivamente, contamina famílias, afasta as pessoas e traz consequências muito graves para a sociedade. Não é como um vírus, mas é como se fosse: são as fake news – diz Átila no início do vídeo.

https://twitter.com/TSEjusbr/status/1300788002130726913

Átila Iamarino ganhou repercussão nacional no início da pandemia do coronavírus no Brasil. Em um vídeo de março, o biólogo projeta que o Brasil chegaria à marca de 1 milhão de vítimas da Covid-19 no fim de agosto caso o país tomasse apenas medidas de mitigação da doença, ou seja, caso adotasse uma quarentena parcial, como de fato ocorreu.

Ainda segundo a projeção de Átila, se o Brasil fizesse a supressão da doença, o que ele disse que aconteceria se todos “ficassem em casa pelos próximos meses”, em um confinamento total, o Brasil atingiria a marca genérica de “milhares de mortos”.

No fim de agosto, o Brasil tinha 121,5 mil mortes confirmadas pela doença.

Leia também1 Covid-19: Pesquisa revela que face shield é ineficaz
2 Vacinação de brasileiros deve começar no início de 2021
3 Cloroquina pode ser incluída no Farmácia Popular
4 Brasil tem queda de 12% nas mortes por Covid em agosto
5 Jair Bolsonaro: "Ninguém é obrigado a tomar vacina"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.