Leia também:
X Morre príncipe brasileiro Dom Luiz de Orleans e Bragança

Após polêmica, Havan reforça venda de bandeiras do Brasil

Símbolo nacional pode ser adquirido pelo preço de custo de R$ 19,99 em mais 170 lojas da Havan

Pleno.News - 15/07/2022 16h36 | atualizado em 15/07/2022 17h11

Luciano Hang, dono da Havan Foto: Divulgação/Havan

A rede varejista Havan lançou uma nova campanha para reforçar a venda das Bandeiras do Brasil. A ação iniciou após a juíza Ana Lúcia Todeschini Martinez, titular do cartório eleitoral de Santo Antônio das Missões e Garruchos, no Rio Grande do Sul, informar que vai considerar a bandeira do Brasil uma propaganda eleitoral a partir do início oficial da campanha, no próximo dia 16 de agosto. Sem citar o nome de Bolsonaro, a magistrada alegou que o símbolo nacional tornou-se claramente a marca de apenas “um lado da política”.

De acordo com a assessoria da Havan, as bandeiras podem ser adquiridas pelo preço de custo de R$ 19,99 em todas as mais de 170 megalojas espalhadas por todo o país.

– A Bandeira do Brasil representa nossa história e identifica a nação brasileira. Todo cidadão tem direito de exaltá-la, independentemente de partido – destacou o dono da Havan, Luciano Hang.

Além do símbolo nacional, a varejista oferece ainda camisetas verdes com a frase “O Brasil que queremos só depende de nós”, como no uniforme dos colaboradores Havan.

– Devemos incentivar cada vez mais o patriotismo, temos que ter orgulho do nosso país, da nossa Bandeira. Fico impressionado com esse tipo de notícia. Um ativismo judicial absurdo. É a liberdade sendo tolhida todos os dias – disse o empresário.

Leia também1 Quem é a juíza que considera a bandeira propaganda eleitoral
2 Michelle Bolsonaro sobre juíza: "Ativismo ou insanidade?"
3 Bandeira: Carla Zambelli aciona corregedorias contra juíza do RS
4 Bolsonaro: “É absurdo querer proibir o uso da bandeira”
5 Juíza vai considerar bandeira do Brasil propaganda eleitoral

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.