Leia também:
X Portugal reelege presidente conservador, Marcelo Rebelo

Biden cancela oleoduto e “joga fora” 11 mil postos de trabalho

Número era estimado pela TC Energy, empresa do setor energético responsável pelo oleoduto

Paulo Moura - 25/01/2021 11h26 | atualizado em 25/01/2021 12h33

Joe Biden durante sua cerimônia de posse Foto: EFE/EPA/POOL

Uma decisão tomada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ainda no primeiro dia no cargo, deve gerar a perda de milhares de postos de trabalho no país. O democrata cancelou a licença de construção do oleoduto Keystone XL, uma expansão de 1.200 milhas do sistema de oleodutos que transportariam, a partir de 2023, 830 mil barris de petróleo por dia do Canadá para os Estados Unidos.

Diante da definição tomada por Biden, um porta-voz da TC Energy, empresa americana do setor de energia e dona do oleoduto, confirmou à agência de notícias France-Presse que mil empregos serão perdidos com a revogação promovida pelo democrata. O número de postos de trabalho afetados, porém, é maior e não se resume apenas aos empregos diretamente informados pela companhia.

A própria TC Energy já havia anunciado, em outubro de 2020, a concessão de 1,6 bilhão de dólares (R$ 8,75 bilhões) em acordos com seis grandes contratantes sindicais americanas para construção de 800 milhas do Keystone XL em três estados dos EUA em 2021.

Ao todo, a TC estimava que as seis empresas contratariam mais de 7 mil trabalhadores sindicalizados este ano, e os contratos aumentariam para mais de 8 mil o número de trabalhadores americanos sindicalizados no oleoduto, com um total de 11 mil empregos estimado para 2021.

Leia também1 Após ordem sobre 'ideologia de gênero', cristãos criticam Biden
2 EUA: Após eleições, democratas ficam contra o lockdown
3 Ordem de Biden sobre direitos LGBT cita banheiro para crianças
4 Biden promove mudanças no governo pela "diversidade"
5 Maduro pede a Biden o fim da 'demonização' de seu governo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.